X
Menu principal
Início
Alegrete
Prefeitura
Órgãos
Serviços
Notícias
Galerias
X
Menu de acessibilidade
Ir para conteúdo [1] Ir para menu [2] Ir para busca [3] A- [4] A+ [5] Alternar contraste [6] Mapa do site [7]
Menu de acessibilidade Ir para conteúdo [1] · Ir para menu [2] · Ir para busca [3] A- [4] · A+ [5] · Alternar contraste [6] · Mapa do site [7]
NOTÍCIAS
21/05/2021
Doses de vacina da Pfizer chegam segunda-feira (24) e prefeitura realiza cadastro
As 108 mil doses da vacina Pfizer que estão no Rio Grande do Sul serão entregues a todas cidades gaúchas, incluindo Alegrete, na segunda-feira (24). Na quinta-feira (20), uma capacitação online foi feita a vacinadores sobre as especificações e aplicação do imunizante. O treinamento específico para a vacina da Pfizer é necessário por essas doses terem características específicas e diferenciadas de armazenamento, manuseio e aplicação. A prefeitura foi notificada pela SES, através da 10ª Coordenadoria Regional da Saúde (CRS) sobre as doses, que devem chegar já no final da tarde de segunda-feira. Alegrete receberá 882 doses e a prefeitura priorizará os mesmos grupos determinados pelo Estado. A Secretaria de Saúde confirma que há equipamentos para armazenar a vacina da Pfizer do modo que for necessário. A logística para vacinar com a Pfizer está sendo planejada e será feito um pré-cadastro nas UBS de referência.

QUEM DEVE TOMAR VACINA
Essas doses da Pfizer que serão entregues têm, por parte da Secretaria Estadual de Saúde (SES), orientação para utilização de primeira dose para pessoas com deficiência permanente a partir dos 18 anos cadastradas no Benefício assistencial à pessoa com deficiência (BPC) do Governo Federal, pessoas com comorbidades na faixa etária de a partir dos 18 anos, gestantes com comorbidades e/ou gestantes sem comorbidades que apresentem indicação médica de avaliação dos riscos e benefícios e profissionais de saúde com atuação na área . Todos devem apresentar comprovantes.
Aos municípios, um dos pontos ressaltados na capacitação ministrada por consultores da farmacêutica foram os prazos de armazenamento e utilização. Os municípios receberão suas doses refrigeradas (entre 2°C e 8°C). Nesta temperatura, as doses podem ficar por até cinco dias (120 horas).

AGENDAMENTO
Por essa limitação, a orientação do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs) é que os municípios realizem agendamento prévio das pessoas a serem imunizadas. Da mesma forma, não é recomendada a estratégia de vacinação fora de Unidades Básicas de Saúde, como em drive-thru, por exemplo. Na sala da vacina, após o frasco ser tirado do refrigerador e diluído, as doses dever ser aplicadas em até seis horas.

CONDIÇÕES
As doses da Pfizer chegaram ao Brasil em caixas de transporte específicas, com isolamento térmico e gelo seco que permite a manutenção de temperaturas entre -90°C e -60°C por até 30 dias. Em freezers, com temperatura entre -25°C e -15°C, o armazenamento pode ser por até duas semanas. Em freezers de temperatura ultrabaixa (entre -80ºC e -60°C) as doses podem ficar por até seis meses. Após sair da fábrica, estando nas caixas térmicas ou nos freezers de -25°C a -15°C, o lote pode ser levado de volta a um ultrafreezer, reassumindo a validade original de seis meses. Essas temperaturas mais baixas do que precisam as doses das demais fabricantes são necessárias pois a vacina da Pfizer tem menos conservantes.

SERINGAS E DILUENTES
Além desse lote com mais de 108 mil doses, os municípios do Estado receberão quantitativo necessário de seringas e diluentes (soro fisiológico). A distribuição desses insumos já começou nesta semana e deve ser concluída junto com o envio das vacinas na segunda-feira.

ARMAZENAMENTO
A Pfizer obteve nesta semana aprovação das autoridades de saúde dos Estados Unidos e Europa para que o imunizante tenha permissão para ser armazenado na temperatura de geladeira, entre 2ºC e 8ºC, por um período de 30 dias, desde que o frasco não tenha sido aberto ainda. Essa é uma autorização que ainda não é valida para o Brasil. Porém, as consultoras que ministraram a capacitação nesta quinta-feira adiantaram que a empresa deverá entregar nos próximos dias à Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) a documentação e estudos que apontam a segurança por esse período maior. Tão logo haja uma decisão a respeito, as normas vigentes serão atualizadas pela agência e deverá haver nova instrução do Ministério da Saúde aos Estados e municípios.

INFORMAÇÕES SOBRE A PFIZER
• Podem vir rotuladas como Pfizer-BioNTech, se produzidas na Bélgica, ou Comirnaty, que é o nome comercial usado na fábrica dos Estados Unidos. A vacina será distribuída no Brasil apenas com embalagem em inglês, mas a empresa dispõe de um site em português com conteúdos voltados para profissionais de saúde (comirnatyeducation.com.br).
• Cada frasco tem capacidade para seis doses. Ele vem com 0,45 mL do produto, que para a aplicação precisa de diluição de mais 1,8 mL de soro fisiológico.
• É uma vacina do tipo RNA mensageiro (mRNA), ou seja, usa parte de uma sequência do código genético do vírus como se fosse uma "receita" para o organismo produzir anticorpos.
• Estudos clínicos comprovaram uma taxa de eficácia de 95% após as duas doses.
• No Brasil, a orientação do Ministério da Saúde é de um intervalo de 12 semanas (cerca de três meses) entre a primeira e segunda doses.
• Reações adversas mais comuns incluem dor no local da aplicação, fadiga e dor muscular (raramente chegando a apresentar febre), que costumar aparecer em até 24 horas e apresentar melhora em até 48 horas

Foto: Cristine Rochol (Prefeitura de Porto Alegre/Divulgação)
Últimas notícias Ver todas notícias

Vídeos
#VacinaAlegrete - Covid19
Vídeo Institucional Alegrete